Telemedicina
-
5/12/2021

Saúde digital: O que é e como acompanhar as mudanças do mercado?

O conceito de saúde digital se torna cada vez mais presente no cotidiano médico. Se você deseja acompanhar essas evoluções e manter sua clínica atualizada, é importante entender o que é essa proposta.

Muitas pessoas podem acreditar que a integração da tecnologia com as operações de saúde se resume a sistemas automatizados e plataformas digitais, mas a verdade é que essa definição é muito mais ampla e complexa.

Por isso, para começar a adaptar o seu centro de saúde às inovações que surgem na área da medicina, é importante entender o que é e como funciona essa ideia.

Se você deseja conhecer melhor a concepção de saúde digital e sua importância para o futuro da medicina, continue acompanhando o conteúdo que preparamos sobre o assunto.


O que é saúde digital?

Saúde digital é uma proposta que consiste na oferta de serviços e produtos médicos, que integrem profissionais e procedimentos à ferramentas e soluções tecnológicas, com o objetivo de transformar a área.

Algumas definições também trazem esse conceito como “o uso de recursos de Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) para produzir e disponibilizar informações confiáveis, sobre o estado de saúde para quem precisa, no momento que precisa”.

As transformações da medicina ao longo dos anos é significativa e se torna ainda mais relevante com o surgimento de novos aparelhos e inovações que permitem modernizar o setor.

Nesse sentido, o conceito de saúde digital também entende-se como o uso de recursos tecnológicos na medicina e suas amplas aplicações, como:

  • Realização de pesquisas;
  • Promoção de aprendizados e treinamentos mais eficientes;
  • Acompanhamento e tratamento de doenças;
  • Atendimentos mais eficientes.

Além de abranger diferentes aplicações e modernidades, incluindo:

Por isso, a maioria das ações que englobam a saúde digital consiste em unificar dados e procedimentos, integrando a tecnologia, profissionais e pacientes.


Qual a importância da saúde digital na medicina?

De forma geral, acredita-se que a saúde digital seja a maior tendência para o futuro da medicina.

Alguns de seus setores já estão sendo implementados com sucesso, como a telemedicina e seus desdobramentos.

Dessa forma, a proposta é fundamental para integrar, de maneira eficiente, os milhões de dados e procedimentos realizados diariamente por clínicas, hospitais e centros de saúde.

E não apenas na questão de ferramentas e plataformas, mas também todos os tipos de tecnologias e modernidades às quais se tem acesso atualmente.

Por exemplo, a medicina também pode contar simplesmente com as facilidades das redes sociais ou aprimorar procedimentos médicos com a ajuda de máquinas inteligentes e robôs.

Todas essas aplicações são fundamentais para atingir os objetivos da saúde digital, que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), se concentram no monitoramento e na otimização da saúde populacional.

Com processos mais tecnológicos, cada vez mais pessoas poderão ser beneficiadas por essas práticas médicas.


Futuro da saúde e a medicina

De acordo com estudos de instituições da área, baseadas nas inovações que ganham cada vez mais espaço no mercado, o futuro da saúde e da medicina é a saúde digital.

A tecnologia já faz parte do dia a dia das pessoas e para que a saúde possa exercer sua função de maneira completa e assertiva, é fundamental acompanhar as rotinas dos pacientes, incluindo a presença de novas modernidades.

Além disso, a integração e convergência de dados é um processo que vem sendo previsto desde os anos 80, quando as primeiras tecnologias passaram a fazer parte do cotidiano social.

Dessa forma, o avanço da presença e da importância saúde digital se torna cada vez mais concreto e esperado, inclusive com operações em andamento.

Por exemplo, o programa Conecte SUS é uma das principais iniciativas do programa de Estratégia de Saúde Digital do Governo Federal, em operação desde 2012.

Graças ao alinhamento de dados e integração de profissionais com esse sistema, foi possível realizar um combate mais efetivo contra à COVID-19, responsável pela pandemia de coronavírus em 2020.

Além disso, a Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS) também é uma iniciativa que ganhou repercussão nacional, disponibilizando notificações e resultados quanto aos exames de coronavírus.

Nacionalmente, o Ministério da Saúde lançou, através da Resolução CIT nº 19, de 22 de junho de 2017, outra estratégia de saúde digital importante, o digiSUS.

A meta é aumentar a qualidade e ampliar o acesso à atenção no Serviço Único de Saúde, e, até 2022, a e-Saúde deverá estar incorporada ao SUS como uma dimensão fundamental.

Assim, é possível constatar a presença da saúde digital já no cotidiano social, inclusive por meio de propostas nacionais de amplo alcance.


Principais benefícios da saúde digital

Mesmo conhecendo o conceito de saúde digital, algumas pessoas ainda podem não entender a dimensão da importância desse conceito para a medicina.

Por isso, vale a pena conhecer os principais benefícios que a proposta apresenta para pacientes, profissionais e centros de atendimento. Confira mais detalhes:

Automação de processos

A saúde digital propõe a integração de profissionais e sistemas automatizados, possibilitando a automação de diversos processos complexos.

Isso reduz as chances de falhas e erros, otimizando rotinas que envolvem atividades repetitivas e burocráticas.

Além disso, essa automação também resulta na melhoria dos atendimentos, na organização de dados importantes e na realização dos serviços de saúde, de forma geral.

Redução de custos

Implementar a saúde digital no cotidiano de clínicas e hospitais também pode reduzir consideravelmente os custos de operação.

Isso porque sistemas integrados e soluções tecnológicas substituem processos manuais, que demandam tempo e recursos.

Desde o preenchimento de cadastros e formulários, até a realização de cirurgias complexas, é possível otimizar os mecanismos utilizados.

Agilizando o processo, os profissionais reduzem gastos em todas as áreas.

Medicina integrativa

A Medicina Integrativa é uma prática terapêutica que procura abordar o processo integral de cura do paciente, o que envolve sua mente, corpo e espírito.

Para isso, ela combina a Medicina Convencional com as práticas complementares, que também podem incluir a saúde digital.

Afinal, existem diversos aparelhos e sistemas que permitem um diagnóstico mais preciso e profundo do caso do paciente, desde avaliações físicas, até suportes emocionais por meio da tecnologia.

Dessa forma, é possível aplicar a medicina integrativa com mais eficiência na área.

Auxílio ao paciente

Um dos principais objetivos da saúde digital é auxiliar o paciente em todo o processo de atendimento, que inclui as consultas, diagnósticos e tratamentos necessários.

Isso porque as facilidades que a tecnologia traz são fundamentais para uma abordagem assertiva e completa.

Além disso, a proposta também pode oferecer suporte para além da medicina, auxiliando em necessidades secundárias, que podem garantir não apenas a cura, como a manutenção da saúde da comunidade.

Melhores diagnósticos

Por fim, a saúde digital pode auxiliar consideravelmente na elaboração de diagnósticos e análises médicas.

Sistemas automatizados, aparelhos inteligentes e plataformas integradas são apenas algumas das soluções que permitem um laudo médico mais completo.

Dessa forma, os profissionais poderão atuar com mais eficiência, e exercer sua função de maneira mais assertiva.


Quais as principais tendências da saúde digital?

Por fim, vale a pena conhecer também algumas das tendências que mais se concretizam na área da saúde digital, para saber o que acompanhar e como adaptar a sua clínica da forma correta.

Veja as principais soluções que integram essa proposta atualmente:

Inteligência artificial

A inteligência artificial já é uma realidade na medicina e as expectativas são de que sua presença se torne ainda mais pulverizada.

Com ela, sistemas programados de maneira inteligente poderão utilizar raciocínios lógicos e percepções avançadas para melhorar o atendimento ao paciente.

Além disso, a IA também poderá integrar, de maneira eficiente, todos os ambientes de saúde, desde atendimentos práticos até operações administrativas.

Sistema de gestão

Enquanto isso, os sistemas de gestão são uma das soluções mais práticas e acessíveis que compõem a saúde digital.

Essas plataformas permitem uma gestão de saúde mais efetiva, otimizando a atuação de profissionais e funcionários para melhor atender os pacientes.

Além disso, clínicas e hospitais também dependem de uma gestão administrativa eficiente para continuar suas atividades e um sistema adequado possibilita isso.

Automações em Nuvem

O uso de automação em Nuvem traz a possibilidade de integrar mais serviços e profissionais, mesmo de forma remota.

Com servidores externos, é possível colaborar com atendimentos e diagnósticos mesmo à distância, por exemplo, além de acessar dados importantes com mais praticidade e agilidade.

Ainda, a Nuvem também aumenta a segurança dos dados dos pacientes e do próprio hospital, sendo uma solução da saúde digital com impacto em diversos setores.

Telemedicina

Como mencionado, a telemedicina é um componente da saúde digital, que já está em atuação há muitos anos e vem se consolidando cada vez mais.

Atendimentos e procedimentos virtuais aumentam a acessibilidade de pacientes em localidades remotas, realizando a manutenção do direito universal à saúde.

Dessa forma, essa prática é uma das tendências mais importantes e próximas da saúde digital.

Telerradiologia

Junto da telemedicina, a telerradiologia também é uma tendência que já é realidade na medicina.

Os atendimentos necessitam de acompanhamentos práticos, como exames e diagnósticos físicos.

Por esse motivo, a prática acompanha de perto as inovações da saúde digital, sendo um complemento essencial para a devida implementação dessa proposta.

Big data

O big data é a área do conhecimento que estuda como tratar e obter informações a partir de dados. 

Uma vez que a medicina se utiliza cada vez mais de dados complexos, explorar o big data passa a ser cada vez mais fundamental na saúde.

Esses sistemas não apenas facilitam o entendimento e análise de profissionais, como também agilizam o tratamento de dados.


Quando vale a pena implementar a saúde digital no cotidiano?

A saúde digital já é uma realidade na medicina, tornando-se válido se adaptar e implementar essa proposta o quanto antes, se o seu objetivo for manter o seu centro de saúde moderno e atualizado.

Existem diversas tendências que compõem essa oferta, permitindo que os centros aproveitem os benefícios da saúde digital de diferentes maneiras.

Por isso, é importante começar a acompanhar essas inovações, mesmo que a partir de pequenas mudanças, para oferecer um serviço de qualidade ao paciente e então se adaptar para o futuro da medicina.