Inteligência Artificial
-
15/6/2021

Inteligência Artificial: Como funciona, o que é e exemplos práticos

A inteligência artificial é uma realidade cada vez mais presente em nosso cotidiano, já que existem diversos modelos e aplicações dessa ciência.

Presentes em áreas que vão desde a medicina, a informática e a indústria de produções, até em nosso cotidiano, nas formas mais simples, esse processo serve para revolucionar o modo como enxergamos o mundo. 

E, embora esses sistemas pareçam muito avançados, seu funcionamento é simples e pode ajudar em diferentes áreas, especialmente na área da saúde.

Por isso, confira nosso guia sobre inteligência artificial, e aprenda como este mecanismo funciona, onde ele está presente e quais vantagens pode trazer para as pessoas de modo geral.


O que é a inteligência artificial?

Inteligência artificial é um ramo da ciência da computação que estuda a simulação de comportamentos humanos em máquinas. Atualmente, existem diversos sistemas que procuram imitar a inteligência humana por meio da programação, visando executar tarefas que só poderiam ser feitas por pessoas.

Além disso, as pesquisas mais avançadas sobre inteligência artificial também buscam reproduzir funções mais complexas, como:

  • Percepção visual;
  • Reconhecimento de voz;
  • Tomada de decisão independente;
  • Conversação e comunicação em vários idiomas.

Embora a tecnologia pareça recente, os primeiros estudos surgiram em 1955, quando o termo “Inteligência artificial” foi criado por John McCarthy, professor de matemática do Dartmouth College.

Pioneiro e especialista no assunto, McCarthy e seus colegas apresentaram uma visão ousada para a época.

Eles afirmam que, no futuro, computadores poderiam desempenhar tarefas de abstração e uso de linguagem de maneira inteligente.

Hoje, a inteligência artificial propõe mais que isso. Diversos mecanismos mostram que é possível que as máquinas aprendam como seres humanos, tomando suas próprias decisões com base em análises racionais.


Qual a importância da inteligência artificial?

Basicamente, a inteligência artificial é a mudança tecnológica mais significativa da ciência da computação. 

Por meio deste mecanismo, será possível realizar integrações em ambientes do nosso cotidiano e que sejam capazes de auxiliar com diferentes tarefas, desde as simples às mais complexas.

E, se a tecnologia já faz parte das nossas vidas, como em nossos smartphones, eletrodomésticos integrados e outros sistemas inteligentes que utilizamos no dia a dia, essas máquinas irão realizar atividades utilizando comandos ou com programações de repetições automáticas.

Pesquisas para que essas tarefas sejam automatizadas no universo da saúde, inclusive, já estão sendo colocadas em práticas e implementadas por diferentes laboratórios e hospitais em todo o mundo, incluindo o Brasil.

Nos dias de hoje, equipes médicas utilizam sistemas de inteligência artificial em diferentes momentos do dia, como em cirurgias, onde robôs identificam e preveem possíveis erros durante o procedimento. Ou até mesmo na radiologia, onde é possível ter um diagnóstico preciso, automatizado e eficaz em poucos minutos.

Em um futuro ainda mais próximo, é esperado que essa aplicação auxilie as pessoas em sua rotina. Por exemplo, um forno com inteligência artificial poderá prever quando a receita ficará pronta, e cozinhá-la sozinho.

Em resumo, podemos afirmar que a inteligência artificial pode trazer maior qualidade de vida para as pessoas, facilitar inúmeros processos em diferentes áreas, e integrar de maneira funcional o homem e a máquina.


Como a inteligência artificial funciona?

Apesar da importância e da evolução que a inteligência artificial representa, muitas pessoas ainda ficam receosas em utilizar essa tecnologia, principalmente por não saber como ela funciona.

Em um primeiro momento, é fundamental ressaltar que não existe uma única resposta para explicar como esse mecanismo funciona. Isso porque existem diversos tipos de IA, e cada um opera de uma maneira. 

No entanto, é possível descrever a base de operações da maioria dos sistemas que temos hoje. E, basicamente, as inteligências artificiais funcionam com base em algoritmos.

O que são algoritmos?

Os algoritmos são compostos por uma série de instruções escritas para a máquina, que deve obedecê-las para realizar uma atividade. Essa é a base das linguagens de programação, por exemplo, que dão origem a programas e aplicativos.

Os programadores simples criam conjuntos de instruções e condições passo a passo, esperando que a máquina possa realizá-las. Por exemplo: faça A, depois faça B, depois faça C.

Com a inteligência artificial, o algoritmo deixa de criar condições lógicas diretas, e passa a programar somente os primeiros passos. Desse modo, o computador pode analisar dados e identificar as soluções.

Neste aspecto, não se trata de “faça A, B e C”, mas sim “olhe para A, analise A e encontre a sequência até B e C”. Porém, essa é apenas a base simples para compreender o funcionamento da IA. Hoje, existe mais de um modelo de programação.

Modelos de funcionamento

Em suma, podemos dividir a inteligência artificial em dois principais modelos. O primeiro trata sobre dados já conhecidos, a partir do reconhecimento de padrões. Esse é o modelo da maioria dos robôs operantes atualmente.

Basicamente, eles seguem apenas funções específicas, diante de algoritmos pré-determinados. Como exemplo, imagine o forno inteligente que citamos anteriormente. Sua programação o fará ver se a receita já está pronta. 

Nesse caso, ele terá alguns caminhos já determinados, como continuar assando, desligar a temperatura ou aumentar a intensidade.

Enquanto isso, o segundo modelo é o de inteligências que não seguem dados pré-estabelecidos.  Assim, seus algoritmos o levam a reconhecer o problema e aprender com seus erros.

Diante de uma operação, o mecanismo realiza uma tentativa e verifica se foi bem-sucedido. Se não for, sua memória artificial irá gravar essa informação posteriormente, e poderá desenvolver outras resoluções que não estão programadas.


Principais conceitos relacionados à inteligência artificial

Para conhecer melhor o sistema de inteligência artificial, é importante aprender mais detalhes sobre alguns conceitos relacionados a esse mecanismo.

Confira a partir de agora, as principais ideias que ajudam a explicar e compor essa tecnologia:

Redes Neurais

Em resumo, redes neurais são sistemas computacionais interconectados que funcionam como neurônios do cérebro humano. Utilizando os algoritmos, essas redes podem reconhecer padrões complexos e “escondidos” entre os dados.

Dessa forma, se torna possível agrupar essas informações e classificá-las para aprender como as pessoas. Além disso, a rede neural é utilizada, principalmente, no segundo modelo de funcionamento da inteligência artificial.

Visão computacional

Visão computacional é um conceito da inteligência artificial relacionada às máquinas que enxergam. 

Ela baseia-se na análise de imagens e vídeos para o aprendizado mecânico, como emitir atividades que dependem da visão humana, e podem ajudar em possíveis análises.

Por exemplo, o sistema de desbloqueio facial nos smartphones pode ser atribuído a uma visão computacional que está em nosso cotidiano e sequer nos damos conta.

Machine Learning

Machine Learning é um dos principais termos relacionados à IA. Trata-se da capacidade dos computadores aprenderem sozinhos, realizarem suas próprias decisões com base no aprendizado anterior, e encontrar soluções que não são programadas.

Um dos exemplos mais populares atualmente são os serviços de streaming, como a Netflix.

Ele identifica e recomenda filmes que o usuário pode gostar com base nas escolhas anteriores. Nesse caso, o mecanismo aprende sozinho.

Reconhecimento de padrões

Este é um subconceito do machine learning, e, como o nome indica, trata do reconhecimento de padrões em um cenário de dados.

O reconhecimento pode ser supervisionado, quando existe a inclusão de algoritmos na memória, ou não-supervisionado, quando a máquina desenvolve seus próprios padrões com base nos anteriores.

Deep Learning

Enquanto isso, o deep learning é um modelo mais complexo de machine learning.

Isso porque ele é estruturado sobre as redes neurais, criando diversas camadas de informações e dados escondidos, possibilitando que a máquina crie suas próprias resoluções.

Além de seguir uma estrutura não-linear, que funciona de maneira mais profunda e abstrata, ela costuma ser bastante utilizada em segmentos como tecnologia e medicina, por exemplo.

Sistema especialista

Como o nome indica, esse conceito trata sobre máquinas inteligentes com sistemas que atuam como especialistas humanos.

Aqui, são programados com foco em um assunto ou área específica, e tendem a ter um aprendizado mais estreito, por ter padrões menos amplos para analisar.

Robótica

Por fim, a robótica foi um dos primeiros campos a implantar a IA, por meio da criação de robôs inteligentes.

Assim, a construção mecânica deve seguir ordens pré-estabelecidas, ou desenvolver um aprendizado com base em suas atividades. Na robótica, a inteligência artificial também opera de maneira prática.


Vantagens da Inteligência Artificial

Muitas pessoas ainda podem ter dúvidas sobre a IA, mas essa tecnologia traz inúmeras vantagens para a ciência e para o cotidiano. 

Confira algumas das principais:

Maior produtividade

Um estudo divulgado pela Agência Brasil mostra que as expectativas são de que cerca de 58 milhões de postos de trabalho sejam substituídos por inteligências artificiais até 2022.

Isso porque esse sistema apresenta uma maior produtividade em suas atividades, além de atuar mais rápido e com mais qualidade.

Assim, ao substituir o trabalho humano por esse mecanismo, os profissionais poderão executar atividades mais complexas com maior dedicação.

Investimento de longo prazo

Embora ainda seja uma novidade em várias áreas, a inteligência artificial é um investimento de longo prazo.

Ainda que pareça inacessível, essa tecnologia irá apenas evoluir, e apresentar resultados em longos períodos, mas com maior durabilidade.

Equipe engajada

Um dos objetivos da IA é aumentar a qualidade das rotinas humanas. Nesse caso, sistemas inteligentes no ambiente de trabalho podem tornar as equipes profissionais mais engajadas.

Além desse mecanismo facilitar inúmeros processos maçantes e repetitivos, também fornece sistemas avançados que integram todas as funções.

Assim, os operadores poderão ter um maior engajamento, dedicação e atenção em suas atividades, potencializando a equipe como um todo.

Foco no usuário

Inúmeros relatos de usuários mostram a preferência por atendimentos com sistemas inteligentes, em vez de atendentes humanos.

Isso porque a IA oferece foco total no usuário e na sua experiência. Um dos exemplos mais populares são os chatbots.

Além disso, os sistemas podem aprender com cada atendimento, se tornando melhores a cada atendimento e proporcionando experiências melhores.

Análise de dados completa

Com as redes neurais e os aprendizados cada vez mais complexos, a inteligência artificial passa a oferecer uma análise mais completa de dados.

Ela pode identificar informações escondidas e complexas em diversos sistemas de armazenamento, e, assim, determinar resoluções mais amplas.

Ainda, espera-se que a evolução dessa tecnologia permita que cada vez mais dados sejam cruzados com maior facilidade, tornando essa rede global e absoluta.


Vale a pena investir na inteligência artificial?

Depois de conhecer melhor o conceito de inteligência artificial e como ela funciona, é possível compreender a importância dessa tecnologia. Ela está cada vez mais presente em nosso dia a dia, facilitando diferentes processos e tornando realidade a integração homem-máquina.

Além disso, nos setores de produção, a inteligência artificial representa o futuro das rotinas de trabalho. Ela será capaz de otimizar as operações mais complexas e repetitivas, permitindo que os profissionais trabalhem com maior dedicação e produtividade.

Assim, vale a pena investir no sistema de inteligência artificial, que evolui a cada dia, e traz não apenas praticidade e integração tecnológica, mas também qualidade de vida para os humanos.