Telemedicina
-
4/10/2021

Tomografia computadorizada: O que você precisa saber para investir na clínica!

Se você ainda não usa tomografia computadorizada na sua clínica, pode estar deixando de oferecer um dos serviços mais importantes da área da saúde!

Esse exame não-invasivo e moderno é responsável por diagnosticar e identificar uma série de doenças no paciente, sendo essencial em alguns casos.

No entanto, mesmo sendo um equipamento tão importante, muitos gestores ainda têm dúvidas sobre como o exame funciona e se vale a pena investir nele.

Pensando nisso, nós preparamos um guia especial sobre tomografia computadorizada, com tudo que você precisa saber para implementar essa tecnologia na sua clínica o quanto antes!


O que é a Tomografia computadorizada?

Tomografia computadorizada é um exame de imagem que funciona de maneira semelhante ao raio-X.

Nele, são usados diferentes tipos de raios para obter imagens da parte interna do paciente, visualizando seus ossos, órgãos e outras estruturas.

Inclusive, algumas pessoas descrevem a tomografia computadorizada como um “raio-X 360 graus”, por conta da sua habilidade de executar imagens em qualquer ângulo.

O equipamento do exame produz radiografias transversais, que são processadas e enviadas para um computador.

Dessa forma, as imagens detalhadas poderão ser avaliadas pelo médico especialista ou responsável pelo diagnóstico do exame.

Atualmente, a tomografia computadorizada é um dos exames mais populares na área da medicina.

Segundo a revista IstoÉ, desde 1980 até 2020, o número de realizações desse diagnóstico cresceu mais de 600%.


Para que a Tomografia Computadorizada serve?

Basicamente, a tomografia computadorizada tem o objetivo de explorar a parte interna do corpo humano com imagens de alta resolução e método não-invasivo.

Com essa tecnologia, é possível avaliar regiões como:

  • Ossos;
  • Órgãos;
  • Via neural;
  • Sistemas completos de funcionamento.

Dessa forma, os médicos e profissionais poderão realizar o diagnóstico de doenças com mais precisão e detalhamento.

Os principais distúrbios identificados pela TC incluem:

  • Acidentes vasculares cerebrais (AVC);
  • Embolia pulmonar;
  • Aneurismas;
  • Fraturas;
  • Hemorragias;
  • Câncer.

Além disso, caso o profissional deseje uma imagem mais nítida de determinada região, mesmo que já tenha um diagnóstico, a tomografia computadorizada pode providenciar esse detalhamento.


Qual a diferença entre tomografia e ressonância magnética?


Entre os principais exames médicos realizados nos centros de saúde, é comum que as pessoas confundam alguns, como a tomografia computadorizada e a ressonância magnética.

Os equipamentos utilizados são semelhantes, assim como a forma de realizar o exame.

No entanto, a principal diferença é a natureza das substâncias que são empregadas com mais frequência.

Na tomografia computadorizada, é comum utilizar contraste iodado, enquanto a ressonância possui preferência pelo uso de base de gadolínio.

Por esse motivo, a ressonância magnética acaba sendo o procedimento mais utilizado na clínica, por sua atuação não-tóxica.


Tipos de Tomografia Computadorizada

Depois de conhecer o conceito da tomografia computadorizada, também é importante conferir algumas das principais modalidades desse exame.

Veja mais detalhes sobre os tipos mais conhecidos e utilizados:

Contraste

De fato, a tomografia computadorizada com contraste é um dos exames mais populares entre as clínicas que oferecem esse atendimento.

O contraste é uma forma de obter imagens ainda mais nítidas e fáceis de analisar.

O paciente ingere uma substância de clareamento, por vias orais ou intravenosas, o que permite que o organismo absorva a luminescência no momento do exame.

Dessa forma, o profissional poderá avaliar as imagens, identificando as partes contrastadas, geralmente que apresentam algum tipo de vascularização, como um tumor ou alterações significativas nas regiões.

Geralmente, o contraste é à base de iodo, sem ser prejudicial para a saúde do paciente.

Tórax

Enquanto isso, a tomografia computadorizada no tórax permite que outros profissionais e atendentes realizem o exame por ser relativamente simples.

Basta que o paciente fique parado e a máquina irá fazer a leitura da área analisada.

A tomografia no tórax permite o diagnóstico de doenças:

  • Pulmonares;
  • Região da caixa torácica;
  • Cardiovasculares.

Além disso, também é uma alternativa pouco invasiva para localizar doenças relacionadas ao peito, como pneumonia e asma.

Cabeça

A tomografia computadorizada na cabeça também é um exame bastante realizado por conta da sua capacidade de encontrar diagnósticos em uma das regiões mais acessíveis do corpo humano.

Com essa máquina, é possível analisar a caixa craniana e a região cerebral de forma detalhada, identificando distúrbios como tumor, hidrocefalia, fraturas e malformações.

Coluna

Finalmente, a tomografia computadorizada na coluna também compõe um tipo popular desse exame.

Isso porque a coluna também possui diferentes possibilidades de diagnóstico, como:

  • Tumores;
  • Infecções;
  • Ferimentos;
  • Complicações.

Ainda, os distúrbios podem acontecer nas articulações, ossos ou tecido mole. No entanto, o exame da tomografia pode localizar alterações em todos os lugares.


Como a inteligência artificial ajuda a Tomografia Computadorizada?


A tomografia computadorizada, por si só, já compõe um dos exames mais importantes para a medicina moderna.

No entanto, sua relevância se torna ainda maior junto à inteligência artificial, inovação cada vez mais presente nos centros de saúde.

Essa integração permite uma análise automatizada dos exames de tomografia computadorizada, trazendo maior potencial de diagnóstico, com precisão e rapidez.

Além disso, plataformas mais modernas, como o trIA, da NeuralMed, possuem integração direta com sistemas externos, como PACS, RIS ou HIS.

O sistema auxilia nos exames e também ajuda a organizar os pacientes, identificando os casos mais graves e permitindo uma correta triagem dos atendimentos.

Por outro lado, essa não é a única aplicação da inteligência artificial junto à tomografia computadorizada. Veja outras formas de integração:

Exames mais rápidos

Com um sistema inteligente, os exames de tomografia podem ser feitos com muito mais rapidez e precisão.

Em questão de segundos, o paciente já terá imagens de toda a região avaliada, com nitidez e detalhamento.

Além disso, o diagnóstico também é mais rápido, otimizando todo o fluxo do atendimento e proporcionando um serviço mais ágil ao paciente.

Laudos médicos inteligentes

Os laudos médicos são documentos que contam com diagnósticos, comentários e análises dos médicos envolvidos no exame.

Nesse caso, trata-se de uma das etapas mais importantes do atendimento, pois busca determinar a conclusão profissional do caso, além de sugestões de tratamento, por exemplo.

Dessa forma, os laudos médicos devem ser completos e precisos, até mesmo para conferência posterior.

Nesse cenário, o uso da inteligência artificial com a tomografia computadorizada pode processar laudos ainda mais inteligentes e assertivos.

Isso porque as máquinas de análise das imagens irão desenvolver relatórios mais completos, enquanto programações inteligentes ajudam na avaliação médica.

Depois de todas essas etapas, o médico poderá anexar esses documentos junto ao laudo oficial, tornando-o mais decisivo.

Diagnósticos eficientes

A tomografia computadorizada é um exame completo, mas ela, sozinha, não oferece nenhum tipo de análise sobre a condição do paciente.

Dessa forma, mesmo imagens nítidas e detalhadas podem gerar um diagnóstico menos preciso, pois precisam ser avaliadas por profissionais humanos.

No entanto, com a ajuda da inteligência artificial, a tomografia já pode ser gerada com um possível diagnóstico, utilizando programações avançadas que identificam os padrões no exame.

Assim, os profissionais poderão complementar com sua opinião, de forma mais prática, rápida e precisa.

Isso também auxilia na proposta de tratamentos mais eficientes para o paciente, melhorando todo o atendimento.

Armazenamento e segurança de informações

Por fim, a questão da segurança das informações também é relevante, pois as imagens da tomografia computadorizada precisam ser lidas por um programa de computador.

Entretanto, elas compõem uma série de dados sigilosos e, assim, o roubo dessas informações poderia ser prejudicial para o paciente e para a clínica.

Com a ajuda da inteligência artificial na saúde, é possível contar com um sistema mais seguro e garantido, que conta com criptografias de ponta e servidores protegidos.

Além disso, programações inteligentes também possuem suas próprias proteções na Nuvem, que dificultam acessos não-autorizados.

Dessa forma, a clínica não precisa se preocupar com a segurança dos exames, pois sistemas inteligentes já oferecem essa possibilidade integrada.


Quando vale a pena ter um sistema de tomografia computadorizada na clínica?

Em um primeiro momento, se a sua clínica oferece atendimentos variados de saúde, então é importante executar a tomografia computadorizada.

Esse exame de imagem se tornou um dos mais importantes na medicina, por sua eficiência e não-invasão ao paciente.

Com apenas um equipamento e alguns minutos, é possível ter imagens detalhadas da parte interna do corpo humano, trazendo possibilidades nunca vistas antes, na questão de diagnósticos e tratamentos.

Por isso, a sua clínica deve investir nessa tecnologia, para aumentar o número de serviços ao paciente, e oferecer atendimentos ainda mais completos.

No entanto, além da tomografia computadorizada, também é importante considerar o uso de uma tecnologia inteligente, que possa complementar esse sistema.

As inteligências artificiais trazem uma série de benefícios para os exames de imagem e, dessa forma, poderão potencializar ainda mais as suas rotinas de atendimento.

Assim, vale a pena não apenas investir no exame, como também integrar programas inteligentes no seu dia a dia.

Isso irá proporcionar diagnósticos e análises ainda mais completos, com praticidade e rapidez, tornando a sua clínica mais eficiente e moderna.