Gestão
-
3/9/2021

Sistema TISS: Entenda o que é e a importância para a clínica!

Se você possui uma clínica médica e planeja trabalhar em conjunto com outras prestadoras de saúde, é fundamental conhecer o sistema TISS.

No mundo conectado pela tecnologia, grande parte dos consultórios e hospitais passaram a operar juntos, compartilhando informações que permitem oferecer um serviço de qualidade ao paciente.

Entretanto, a troca de dados sem um padrão pré-estabelecido pode trazer os efeitos opostos ao desejado, dificultando o trabalho dos profissionais e arriscando a segurança e a privacidade dos usuários.

Por esse motivo, os órgãos competentes desenvolveram um sistema nacional que permite essa interação com mais garantia e organização, e é essencial conhecer mais sobre ele antes de iniciar as suas atividades.

Para te ajudar a entender a importância desse padrão, nós preparamos um guia especial sobre o sistema TISS, trazendo todos os detalhes sobre esse protocolo e como ele funciona.


O que é o padrão TISS?

O sistema TISS é um padrão de Troca de Informações na Saúde Suplementar, e tem como objetivo padronizar e otimizar as trocas eletrônicas de dados entre diferentes prestadoras de serviços.



A sigla significa Troca de Informações na Saúde Suplementar, um padrão criado pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). A TISS tem como objetivo padronizar as trocas eletrônicas de dados entre os convênios e hospitais, clínicas, consultórios e laboratórios.

A proposta surgiu em 2005, pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), órgão vinculado ao Ministério da Saúde.

As normas traziam alguns protocolos padronizados para facilitar o envio de informações entre centros de saúde, tornando as operações mais simples e otimizadas.

Em 2012, a resolução normativa n° 305 tornou o uso do padrão TiSS obrigatório em todas as prestadoras de serviço do País, de modo que a prática se difundiu rapidamente entre os profissionais.

Hoje, o sistema é o principal modelo utilizado por operadoras e prestadoras de atendimento, incluindo:

  • Clínicas;
  • Hospitais;
  • Convênios;
  • Centros de exames;
  • Planos públicos e privados.


Qual a importância do padrão TISS?

De forma geral, o sistema TISS é responsável por padronizar e organizar milhares de dados produzidos diariamente pelos profissionais da saúde em seus atendimentos.

Com a integração virtual entre os centros de saúde e a popularização da telemedicina em todo o mundo, diversas práticas tornaram possível um atendimento mais eficiente e assertivo para os pacientes.

No entanto, as informações geradas acabavam sendo compartilhadas em diferentes formatos, que seguiam os modelos de cada clínica, por exemplo.

Dessa forma, a integração com outras estações de trabalho era prejudicada, pois os profissionais precisavam interpretar os dados ao recebê-los em um formato diferente do costume.

E esse obstáculo não é enfrentado somente no compartilhamento de dados técnicos, como laudos e diagnósticos.

Outras integrações também apresentaram dificuldades em unir seus serviços, como o envio de dados para convênios e agendamentos, por exemplo.

Segundo a Agência Brasil, o número de beneficiários de planos de saúde em 2020 chegou a 47 milhões, quase 25% da população.

Esse alto processamento de informações acabava dificultando o trabalho das prestadoras de serviços de saúde, gerando a necessidade de uma padronização.

Dessa forma, o sistema TISS vem como a solução para otimizar o acesso organizado à esses dados, seja qual for a clínica ou operadora.

Além disso, o padrão TiSS também é fundamental para reduzir fraudes médicas e as probabilidades de erros envolvendo dados dos pacientes.


Para que o sistema TISS serve, na prática?

Na prática, o sistema TISS serve para organizar as informações em arquivos padronizados.

Basicamente, ele determina uma ordem para a inclusão dos dados, o que os documentos devem conter e como eles devem ser emitidos.

Com isso, é possível realizar a verificação das informações com mais facilidade, potencializando a comunicação entre as equipes médicas.

Além disso, a padronização do compartilhamento de dados também permite a autorização de procedimentos com mais facilidade, reduzindo o tempo de espera do paciente.

As clínicas também devem enviar diversos relatórios e documentos para a ANS e outros órgãos de fiscalização, e o sistema TISS é o padrão oficial para isso.

Outros procedimentos administrativos também contam com esse sistema, como execução de demonstrativos financeiros, comprovantes de serviços e informações para o beneficiário.

Em resumo, todos os documentos que envolvem o compartilhamento de dados com outras prestadoras e profissionais devem seguir um padrão, como o sistema TISS.


Benefícios do padrão TISS

O padrão TISS traz uma série de benefícios para os centros de saúde que optam por utilizá-lo em seu dia a dia. 

Por isso, para avaliar se vale a pena investir nesse sistema, vale a pena conhecer alguns dos seus pontos positivos. Confira os principais:

Segurança aos pacientes

Antes de mais nada, o sistema TISS proporciona mais segurança aos pacientes, pois, com documentos mais organizados, diminui-se as chances de roubos e fraudes.

Isso porque suas informações estarão armazenadas de maneira mais eficiente, além de permitir o envio dos dados com mais proteção.

Além disso, no caso de convênios, por exemplo, o paciente tem a segurança de que seu plano não enfrentará obstáculos por problemas de dados.

Geração de guias

O padrão TISS também permite a geração de guias na elaboração e consulta dos documentos.

As guias nada mais são do que segmentos que separam os dados por assunto, como, por exemplo, Guia de Serviço, Guia do Paciente ou Guia de Pagamento.

Dessa forma, com esse sistema, as operadoras de serviço podem segmentar os dados, facilitando sua leitura e consulta, de forma organizada e rápida.

Comunicação unificada

O sistema TISS também permite uma comunicação unificada entre diferentes prestadoras de serviços de saúde.

É comum que clínicas e hospitais apresentem padrões semelhantes, mas, com esse protocolo, é possível se comunicar assertivamente com todos os tipos de empresas, como convênios e setores administrativos.

Assim, todos os profissionais podem compartilhar informações com mais segurança, sem dificuldade para entender os documentos, facilitando a execução do trabalho.

Implantação da Telemedicina

A telemedicina está se tornando cada vez mais popular, e o padrão TISS é um dos responsáveis por essa implantação bem-sucedida.

Os procedimentos a distância dependem diretamente da organização e da acessibilidade dos dados, para que os profissionais possam interagir entre si e com o paciente.

Por isso, o uso de um padrão nacional é um fator chave para ampliar o alcance das práticas da telemedicina, sem obstáculos como dificuldade na comunicação ou falta de organização nos dados compartilhados digitalmente.

Arquivos XML

Além disso, o sistema TISS também oferece uma ferramenta bastante atrativa para os centros de saúde, que são os arquivos XML.

Essa extensão é amplamente reconhecida em todas as estações de trabalho, além de facilitar o armazenamento de dados, sem danificar sua estrutura e hierarquia de informações.

Agilidade de atendimento

Por fim, o padrão TISS também permite uma maior agilidade nos atendimentos de saúde.

Isso porque os profissionais poderão verificar os documentos com muito mais rapidez, oferecendo um retorno mais ágil para o paciente, já com conhecimento dos seus dados.

Além disso, outros setores também se beneficiam. Por exemplo, os convênios podem liberar as consultas mais rapidamente, pois a leitura do pedido é organizada e simples.

Dessa forma, toda a rotina de trabalho se torna mais fluida e eficiente.


Como funciona o padrão TISS?

Basicamente, o sistema TISS determina uma série de padrões para compor os documentos e arquivos que compartilham dados de serviços de saúde.

A princípio, existe o padrão organizacional, que estabelece como o documento deve ser acessado. Por exemplo, qual a versão mais atualizada do programa, a plataforma correta e outros dados.

Em seguida, é preciso se atentar para o padrão de comunicação, que determina a linguagem do arquivo. Atualmente, a mais utilizada é a marcação XML, por sua praticidade e mínima perda de dados.

Enquanto isso, o padrão TISS também traz protocolos de vocabulário, com indicações sobre códigos, abreviações e siglas comuns na área médica, mas que podem dificultar o entendimento entre profissionais.

Ainda, também existe o padrão de conteúdo e estrutura, que estabelece a forma como o documento deve ser montado, quais suas guias e como os demonstrativos devem ser feitos.

Por fim, o padrão de privacidade prega normas do Conselho Federal de Medicina (CFM) para garantir que o compartilhamento do arquivo seja seguro.

Dessa forma, antes de montar o arquivo, o profissional deve seguir todas as determinações do sistema TISS, e isso permitirá que ele crie um documento dinâmico, organizado e universal.


Vale a pena implementar o padrão TISS na clínica médica?

Se você realiza o compartilhamento de dados na sua clínica médica, vale a pena conhecer mais sobre o sistema TISS e implementá-lo no seu dia a dia.

Esse padrão não apenas permite a organização das informações do arquivo, como também facilita a integração entre todas as prestadoras de serviços, sejam na área da medicina ou não.

Com essa facilidade, os centros médicos poderão oferecer serviços muito mais assertivos e de qualidade, impactando diretamente no atendimento ao paciente.

Além disso, com o avanço da telemedicina, o sistema TISS se torna essencial para uma implantação efetiva dessas operações, permitindo que a comunicação digital seja feita sem obstáculos.

Assim, vale a pena adotar o padrão TISS na sua clínica, para otimizar as suas rotinas de trabalho, agilizar os atendimentos e trazer mais segurança para os seus procedimentos.