Telerradiologia
-
7/7/2021

Sistema Pacs: Será que sua clínica precisa utilizar?

O sistema Pacs é uma das grandes facilidades tecnológicas que os centros de saúde utilizam hoje em dia. 

Seus recursos são fundamentais para otimizar os processos de diagnóstico e compartilhamento de informações entre profissionais, oferecendo assim, um atendimento de maior qualidade para o paciente.

No entanto, muitos consultórios ainda não implantaram essa ferramenta em seu cotidiano, seja por não conhecer esse mecanismo ou ter dúvidas sobre como ele funciona.

Pensando nisso, nós preparamos um guia especial sobre o sistema Pacs, com tudo que você precisa saber para aderir a essa tecnologia na sua clínica.


O que é o sistema Pacs?

Pacs é a sigla para Picture Archiving and Communication System, ou Sistema de Comunicação e Arquivamento de Imagens.

Como o próprio nome indica, trata-se de um mecanismo desenvolvido especialmente para clínicas de diagnósticos por imagem e tem como função facilitar a comunicação entre os centros de saúde.

Por meio de um sistema compartilhado de leitura e envio de imagens, o Pacs permite que diferentes setores e consultórios possam acessar exames de forma prática e segura.

Essa ideia surgiu ainda na década de 1980, quando a internet trouxe as primeiras possibilidades de compartilhamento digital entre clínicas, por meio da digitalização dos exames.

No entanto, as empresas fabricantes de aparelhos médicos não eram capazes de produzir um mecanismo que fosse compatível com todas as linguagens técnicas.

Dessa forma, mesmo que a transmissão de informações fosse possível entre setores de uma mesma clínica, por exemplo, essas imagens e diagnósticos não podiam ser compartilhadas com outros centros.

No entanto, o cenário mudou em 1993, com o surgimento do padrão DICOM, a base que possibilitou a criação do Pacs.

Hoje, esse sistema é compatível com uma série de exames de imagem, como:

  • Tomografias;
  • Ressonâncias magnéticas;
  • Raio-X;
  • Mamografias;
  • Ultrassom.


Qual a importância do sistema Pacs para a área da saúde?

O sistema Pacs tornou possível o compartilhamento seguro de exames de imagem entre diferentes centros de saúde.

Ou seja, profissionais e especialistas podem acessar diagnósticos de outras clínicas, de forma prática e simples, sem comprometer a qualidade da informação.

Além disso, o Pacs também possibilitou o armazenamento de uma grande quantidade de dados médicos, reduzindo significativamente os custos desse tipo de procedimento.

Com a padronização dos protocolos de transferência e armazenamento de exames, é possível construir bancos de dados mais confiáveis e organizados, com acesso em qualquer plataforma.

Por fim, utilizando este sistema, os profissionais poderão visualizar todos os exames, inclusive em tempo real, e, com isso, estabelecer um diagnóstico mais completo e eficiente.

Isso promove um melhor atendimento para o paciente, elevando a excelência dos processos de saúde.


Pacs e DICOM: Quais as principais diferenças?

É comum que algumas pessoas confundam os sistemas Pacs e DICOM, especialmente por eles estarem diretamente interligados.

No entanto, é importante ressaltar suas diferenças, uma vez que não se trata de dois mecanismos diferentes, porém complementares.

O DICOM é um padrão de qualidade de imagens médicas, diagnósticos e outras informações de saúde compartilhadas.

Enquanto isso, o Pacs é o software responsável pelo acesso, pela transmissão e pelo armazenamento dessas imagens DICOM.

Basicamente, é como se o DICOM fosse uma extensão de arquivo, e o Pacs é o programa que permite abrir esse arquivo.

Além disso, o DICOM estabelece um padrão internacional para a emissão desses dados, que são inseridos no sistema Pacs para, então, serem acessados por outros profissionais.


Como o sistema Pacs funciona, de fato?

Para utilizar o sistema Pacs de forma eficiente, é importante entender como ele funciona. Ao todo, são cinco etapas que possibilitam a interação e comunicação entre profissionais e exames de imagens.

A princípio, os equipamentos de saúde realizam a captura das imagens de maneira tradicional. Geralmente, as máquinas já apresentam a tecnologia necessária para emitir os resultados diretamente no computador, de forma digital.

Em seguida, os registros seguem para um servidor de imagens, utilizando um protocolo padrão de transferência, como o DICOM. 

Inclusive, esses arquivos podem ser acompanhados de outras informações, como o laudo médico ou a ficha do paciente.

Na terceira etapa, os dados enviados para o servidor seguem para um banco de dados externo, localizado na internet. 

Dessa forma, as informações se tornarão disponíveis para acesso online e offline. 

Ou seja, usuários de outros servidores poderão acessar na web, enquanto as estações de trabalho offline, como a clínica ou o hospital, poderão verificar os dados em seu próprio servidor.

Por fim, os profissionais de saúde poderão acessar as imagens, além de poder baixá-las, fazer a impressão física ou salvar essas informações em seu próprio banco de dados offline.


Principais benefícios do sistema Pacs

Além de simples e acessível, o sistema Pacs também oferece uma série de benefícios para a clínica. Confira alguns dos principais:

Custos reduzidos

Com a tecnologia Pacs, as clínicas e hospitais podem reduzir consideravelmente os seus custos de transferência e armazenamento de dados.

Exames de imagens precisam ser manipulados corretamente, para não prejudicar a qualidade das informações.

Com um sistema moderno e digital, não é preciso utilizar muitos recursos para fazer esse arquivamento.

Além disso, também é possível reduzir custos de transporte e acesso dos dados, disponíveis de maneira gratuita e acessível no servidor.

Mobilidade de informações

O sistema Pacs também possibilita uma maior mobilidade de informações. Mesmo que os exames e diagnósticos sejam feitos em um centro de saúde, outros profissionais e clínicas podem acessar esses dados quase instantaneamente.

Além disso, o servidor permite tanto a consulta online quanto o download dos arquivos, para mantê-los na estação de trabalho.

Essa mobilidade permite que os profissionais possam atender melhor aos pacientes, além de consultar informações remotas com muito mais rapidez.

Sistema de segurança integrado

Junto com o sistema Pacs, outras tecnologias também investem em segurança compartilhada, aumentando a garantia de dados sigilosos como exames médicos.

E, uma vez que os servidores e banco de dados são todos integrados, mecanismos de criptografia e proteção digital se aplicam em todas as etapas, criando um sistema unificado e mais eficiente.

Otimização do diagnóstico

Muitas vezes, os exames de imagem são essenciais para um diagnóstico concreto e nem todas as clínicas oferecem os equipamentos necessários para esses procedimentos.

No entanto, com o sistema Pacs, é possível realizar os exames e disponibilizar as imagens em um tempo menor, além de permitir a comunicação entre diferentes especialistas.

Dessa forma, é possível otimizar o diagnóstico do paciente, com mais segurança e acessibilidade.

Aumento da produtividade da equipe

No passado, o compartilhamento de informações de maneira tradicional reduzia o tempo hábil das operações, além de atrasar as equipes envolvidas.

Agora, com o Pacs, todos os colaboradores envolvidos terão acesso mais rápido às imagens, o que aumenta a produtividade de forma geral.

Afinal, ao agilizar esse acesso e transferência, é possível dedicar mais tempo para outras etapas, potencializando toda a rotina.

Integração com outros sistemas de inteligência artificial

Finalmente, o sistema Pacs é uma ferramenta tecnológica que possui integração com outros mecanismos, inclusive de inteligência artificial.

Ele permite que máquinas inteligentes possam manipular os exames de imagens com maior liberdade, proporcionando análises mais concretas.

Por exemplo, máquinas de ressonância não apenas emitem os resultados, como também podem incluir um laudo automático que ajuda o profissional.

Além disso, diversos equipamentos também seguem a modernização desse banco de dados, com avanços digitais que tornam os procedimentos ainda mais eficientes.


Como implementar o sistema Pacs no ambiente médico?

Depois de conhecer mais sobre o sistema Pacs, muitas clínicas se interessam por implantá-lo no dia a dia. No entanto, existem algumas recomendações para isso.

Antes de mais nada, é fundamental estabelecer um planejamento, principalmente se o centro de saúde não utiliza arquivos compartilhados.

Isso porque é preciso padronizar os exames para o formato aceito, além de orientar as equipes para as etapas que precisam ser cumpridas, como disponibilizar as imagens no servidor.

Além disso, para utilizar o sistema Pacs é importante implantar também uma plataforma inteligente, que possibilite a adaptação para esse modelo.

Por fim, vale a pena modernizar também os seus equipamentos de exames por imagem, para que possam atuar junto com o Pacs e otimizar os procedimentos.


O sistema Pacs vale a pena?

Com o avanço da telemedicina, diversos mecanismos estão ganhando destaque, principalmente por aumentarem a qualidade dos serviços de saúde.

Nesse caso, o sistema Pacs não apenas beneficia os pacientes, como também permite que diferentes profissionais tenham acesso aos exames de imagens de forma prática e segura.

Esse software facilita o armazenamento de informações, além da transferência online e offline, integrando clínicas e hospitais.

Assim, se você busca diagnósticos mais completos, procedimentos modernos e vantagens para todos os colaboradores da sua clínica, certamente vale a pena investir no sistema Pacs.